A maior gestora independente de ETFs do Brasil.

Buy and hold: como utilizar essa estratégia para investir em ETFs a longo prazo?

O buy and hold é uma estratégia que pode funcionar para diversos investidores

18 mar

    3 MIN DE LEITURA

    Por Investo

    Na hora de montar uma carteira de investimentos, é essencial dar atenção a diferentes pontos para estruturá-la adequadamente. Por exemplo, você deve pensar nas suas metas financeiras, no seu perfil de investidor, na diversificação e na estratégia que utilizará como base para criá-la. 

    Nesse contexto, está o buy and hold — você já ouviu falar sobre o assunto? Esse termo em inglês é bastante popular entre investidores, em especial, aqueles que têm foco no longo prazo. Ele está relacionado a ativos como ações, cotas de fundos imobiliários e de ETFs (exchange traded funds). 

    Se você tem interesse em investir nessas alternativas, ou até já investe nelas, e quer saber mais sobre o buy and hold, continue acompanhando o artigo! 

    O que é buy and hold e como funciona?  

    Buy and hold é uma estratégia de investimento de longo prazo. O seu propósito envolve fazer aportes em diferentes alternativas disponíveis no mercado financeiro e mantê-las em carteira durante anos — cinco, dez, quinze ou até mais. 

    O significado de buy and hold, em tradução livre do inglês, é comprar e segurar. Ou seja, investir em ativos, como ações e cotas de ETFs, e permanecer com eles durante anos ou até mesmo décadas, independentemente das flutuações de curto prazo no mercado. 

    Em sua essência, o buy and hold é uma estratégia que se baseia na crença de que, ao longo do tempo, os mercados tendem a se valorizar. Como consequência, ao manter os investimentos por um período estendido, é possível obter retornos mais favoráveis. 

    O funcionamento do buy and hold é relativamente simples e pode ser entendido por meio de três etapas principais. São elas: 

    • analisar, estudar e selecionar ativos que são considerados mais sólidos, observando questões como histórico, rentabilidade, fundamentos e potencial de retorno; 
    • realizar a compra desses investimentos; 
    • manter esses ativos em seu portfólio durante um longo período.  

    Durante esse tempo, você não se preocupa com as variações diárias de preço, notícias ou movimentos temporários do mercado. A ideia do buy and hold é que, no decorrer dos anos, o crescimento econômico, a inovação e o progresso das empresas impulsionem os mercados, resultando na valorização dos ativos.  

    Quais os benefícios do buy and hold ao investir em ETFs? 

    Agora que você já conhece o conceito de buy and hold, é válido entender, com mais detalhes, quais são os principais benefícios dessa estratégia ao investir em ETFs. Para tanto, acompanhe os tópicos a seguir! 

    Potencial de rentabilidade 

    Os ETFs são investimentos conhecidos por acompanhar índices amplos ou setores específicos. Logo, ao investir e manter cotas desses fundos ao longo do tempo, é possível aproveitar o crescimento econômico e a valorização desses segmentos, além de eventuais distribuições de proventos, como dividendos. 

    Portanto, a estratégia de buy and hold aplicada aos ETFs permite exposição ao potencial de crescimento a longo prazo dos mercados, tanto nacionais quanto internacionais. Dessa forma, a sua carteira tem chance de alcançar uma rentabilidade consistente. 

    Maturação do investimento ao longo do tempo e redução de riscos 

    Ligado ao tópico anterior, ao permanecer com cotas de ETFs em seu portfólio, você pode ver seu investimento amadurecer consideravelmente ao longo do tempo. Mesmo que os ativos sofram oscilações e quedas no curto ou até médio prazo, em períodos prolongados eles tendem a valorizar. 

    Veja, por exemplo, o desempenho do WRLD11, um ETF da Investo que replica o conhecido ETF VGT (Vanguard Information Technology), listado na bolsa de Nova York. Observe que ele passou por momentos de altas e baixas desde 2012, maturando e valorizando ao longo do tempo. 

    Um ponto de atenção é que os resultados obtidos no passado não podem ser considerados uma garantia de ganho no futuro, certo? Desse modo, é essencial fazer outras análises antes de tomar suas decisões. 

    Além da questão de maturação observada, vale mencionar que a estratégia de buy and hold ao investir em ETFs ajuda a diminuir os riscos da sua carteira. Isso acontece porque eles contribuem para equilibrar os riscos associados ao curto prazo, incluindo outros investimentos de renda variável e fixa. 

    Por outro lado, ao manter esses ativos em seu portfólio, é possível superar momentos de flutuações e quedas, em busca de evitar perdas. Como consequência, você consegue reduzir os riscos da sua carteira e as chances de ter prejuízos financeiros. 

    Diversificação 

    Ter uma carteira diversificada é uma medida de grande importância ao investir no mercado financeiro. Ao considerar o buy and hold associado aos ETFs, você pode se beneficiar desse tipo de estratégia. 

    Um dos motivos é que muitos ETFs são compostos por diversos ativos. Então eles podem oferecer uma diversificação adequada ao seu portfólio. Ainda, como o buy and hold é uma estratégia focada no longo prazo, você pode fazer aportes em diferentes alternativas no decorrer do tempo. 

    Dessa maneira, é possível montar uma carteira diversificada e equilibrada, reduzindo riscos e aumentando a possibilidade de ganhos. O ETF WRLD11, que você conheceu, oferece uma diversificação geográfica, setorial e até cambial. 

    Nele, há investimentos ligados aos Estados Unidos, à Europa e à Ásia-Pacífico, por exemplo, além de ativos nos segmentos de tecnologia, serviços financeiros, indústria, saúde, entre outros. Assim, é possível ter exposição a diferentes economias e setores, colaborando para a diversificação. 

    Liquidez 

    Mais uma vantagem do buy and hold ao investir em ETFs se refere à liquidez. Isso porque, ao fazer aportes em ativos de qualidade e com potencial, há mais chances de ter pessoas interessadas em negociá-los. Dessa forma, a tendência é que você consiga comprar e vender cotas sem grandes dificuldades. 

    Custo menor 

    O buy and hold aplicado aos ETFs pode ser interessante em termos de custos. Afinal, você não precisa comprar e vender ativos frequentemente, como acontece na estratégia de day trade, por exemplo. Desse modo, é possível economizar com taxas e até impostos. 

    Menor necessidade de monitoramento constante 

    Por fim, vale ressaltar que, com a estratégia de buy and hold, não é necessário um acompanhamento constante do mercado. Esse aspecto, também relacionado aos ETFs, é especialmente útil se você tem menos tempo ou conhecimento para fazer operações frequentes no mercado financeiro. 

    Com isso, você pode ter uma abordagem mais tranquila ao investir e menos suscetível a decisões emocionais, baseadas em movimentos de curto prazo. Não é preciso ficar monitorando o mercado ou alterando a sua carteira com frequência. 

    Quais os riscos de investir em ETFs sem uma estratégia bem definida?   

    Conforme você acompanhou, investir em ETF adotando o buy and hold costuma proporcionar diversos benefícios. Agora, entenda como pode ser arriscado fazer aportes nesse tipo de ativo sem ter uma estratégia bem definida! 

    Comportamento impulsivo 

    Sem uma estratégia clara, você tende a tomar decisões baseadas em emoções momentâneas ou em tendências de curto prazo do mercado. Tais situações podem levá-lo a comprar ou vender ETFs sem uma análise fundamentada, resultando em operações desnecessárias ou prejuízos. 

    Pense, por exemplo, em um investidor que começou a fazer aportes em ETFs em janeiro de 2020. Dois meses depois, começou a pandemia de covid-19, a qual resultou em uma queda de 30% na bolsa em março, fechando no pior trimestre da história — e, claro, afetando os fundos de índice. 

    Nesse contexto, o investidor, preocupado e sem uma estratégia definida, decidiu vender seus ativos. Como consequência, há uma grande chance de ele ter sofrido perdas significativas.  

    Porém, se ele utilizasse o buy and hold ou outra metodologia, ele poderia ter mantido os investimentos e evitado prejuízos. Afinal, meses depois, a bolsa voltou a subir. 

    Inclusive, muitos investidores costumam aproveitar esses cenários de baixa para fazer mais aportes. O motivo é que quando bons ativos caem, há a oportunidade de comprá-los por um preço mais baixo (descontados), possibilitando ganhos mais elevados quando se recuperarem e valorizarem.  

    Mas é preciso fazer análises mais amplas ao adotar essa estratégia. Afinal, existem situações em que as quedas acontecem motivadas por cenários que podem não ter um potencial de solução — impedindo que o ativo se recupere.  

    Exposição a riscos desnecessários 

    Associado ao ponto anterior, investir em ETFs ou em qualquer outro ativo sem uma estratégia bem definida pode gerar riscos desnecessários. Se você não tiver um plano de diversificação e reequilíbrio da carteira, por exemplo, pode haver uma alocação inadequada de investimentos, aumentando sua vulnerabilidade às flutuações do mercado. 

    Falta de foco nos objetivos 

    Outra situação possível é se desviar dos seus objetivos de investimento de longo prazo. Isso pode levar a decisões de curto prazo que não estão alinhadas com suas metas, comprometendo seus resultados e planos. 

    Custos mais elevados 

    Por fim, mais um risco de investir sem uma estratégia é que a circunstância pode levá-lo a operações frequentes. Como consequência, há chances de você ter custos excessivos com transações, como taxas de corretagem, ou impostos, resultando na diminuição da rentabilidade geral da sua carteira. 

    Como adotar o buy and hold nos investimentos de ETFs a longo prazo?   

    Até aqui, você conheceu os principais pontos sobre o buy and hold: o que é, como funciona e os principais benefícios. Agora, veja como adotar essa estratégia ao investir em ETFs, na prática! 

    Defina seus objetivos 

    O ponto de partida para utilizar o buy and hold ao fazer aportes em fundos de índice é ter bem claro quais são seus objetivos financeiros de longo prazo. Desse modo, você poderá estabelecer o horizonte temporal e a alocação de investimentos de forma mais adequada. 

    Alguns exemplos de metas para o longo prazo são compra de um imóvel, aposentadoria e educação dos filhos. Portanto, não deixe de considerar seu planejamento para adotar o buy and hold corretamente. 

    Estude e escolha os ETFs 

    Com seus objetivos em mente, é hora de analisar e escolher os ETFs para o seu portfólio. Para esse propósito, faça um estudo aprofundado das alternativas disponíveis e avalie-as em termos de histórico, rentabilidade, perspectivas e potencial de retorno no longo prazo. 

    Lembre-se de que um desempenho passado não é garantia de que no futuro ele se repetirá. No entanto, ao avaliar o histórico de um ativo, é possível ter uma noção melhor da sua situação, se ele tem solidez e se realmente representa uma boa oportunidade. 

    Faça a alocação dos ativos 

    Relacionado ao ponto anterior, é essencial que ao escolher os ETFs você faça uma alocação adequada e estratégica para a sua carteira. Nesse sentido, é importante distribuir os investimentos de maneira inteligente e equilibrada, por exemplo, em diferentes setores e mercados, para diversificar o seu portfólio. 

    Realize a manutenção da estratégia 

    Após selecionar os ETFs e pensar no peso de cada um na sua carteira, compre as cotas deles na instituição financeira em que você tem conta e as mantenha ao longo do tempo. Ao adotar o buy and hold, evite a tentação de fazer compras ou vendas frequentemente com base em flutuações de curto prazo. 

    Faça aportes regulares e reavaliações 

    Embora você não precise fazer movimentações periodicamente, é importante ter em mente que buy and hold significa comprar e segurar — e não comprar e esquecer. Ou seja, você não deve apenas adquirir os ativos uma única vez e deixá-los na sua carteira durante anos ou décadas. 

    Em primeiro lugar, você deve fazer aportes regulares — de preferência, mensalmente. Além disso, a cada seis meses ou uma vez por ano, ao menos, reavalie o seu portfólio. Assim, é possível reequilibrá-lo e garantir que ele esteja alinhado com seus objetivos de longo prazo.  

    Esses ajustes são válidos conforme necessário, mesmo no buy and hold. O motivo é que o propósito do buy and hold é investir em ativos de alta qualidade e com boas perspectivas. Logo, se eles não atenderem mais a esses critérios, pode não fazer mais sentido mantê-los em carteira. 

    Tenha paciência, disciplina e consistência 

    Como você acompanhou ao longo do artigo, a estratégia de buy and hold é voltada para o longo prazo. Por esse motivo, tenha paciência, disciplina e consistência ao investir usando essa metodologia. Mantenha o foco em suas metas para ter mais chances de realizá-las. 

    Invista em aprendizado contínuo 

    Por último, uma orientação fundamental ao adotar o buy and hold é investir em aprendizado contínuo. O mercado financeiro é bastante dinâmico e, por isso, o investidor deve compreender e acompanhar as suas movimentações. 

    Portanto, mantenha-se informado e atualizado sobre as condições do mercado, tendências e mudanças na economia ou nos investimentos. Então monitore e reajuste o seu portfólio sempre que considerar necessário. 

    Como visto, o buy and hold é uma estratégia que tende a ser interessante ao ser associada ao investimento em ETFs, podendo gerar resultados atrativos para diversos investidores. Com essas informações, se você tem planos que deseja realizar daqui a alguns anos ou décadas, já pode considerá-lo para a montagem da sua carteira. 

    Para continuar expandindo seus conhecimentos, confira esse outro conteúdo sobre como saber o preço justo para investir em ETF sem ser especialista! 

    Marcações



    Gostou desse Artigo? Você também pode gostar desses.